Hands-on: testamos o Moto G, o smartphone potente de R$ 649 [vídeo]

Dados - X

Hands-on: testamos o Moto G, o smartphone potente de R$ 649 [vídeo] (Fonte da imagem: Caroline Hecke/Tecmundo)

 

O Tecmundo acompanhou o lançamento do Moto G diretamente de São Paulo e, logo após o anúncio, tivemos a oportunidade de testar o gadget. O evento foi repleto de surpresas, mas o que mais chamou a atenção dos convidados foi o valor anunciado: o Moto G começa a ser vendido hoje mesmo (13/11) no Brasil, por impressionantes R$ 649 (modelo de 8 GB, totalmente desbloqueado).

O aparelho conta com tela HD de 4,5 polegadas e processador quad-core Qualcomm Snapdragon 400. O sistema operacional é o Android 4.3 JellyBean em seu formato puro, com garantia de atualização para a versão 4.4 KitKat em janeiro de 2014.

Uma versão de 16 GB também poderá ser encontrada a partir da próxima semana (18/11) por R$ 799, também desbloqueada e livre de contratos de operadoras. Confira agora as primeiras impressões da nossa equipe sobre o Moto G.

Design

O Moto G segue a mesma linha do Moto X: com um design elegante, traseira curva e cores vibrantes, o aparelho tem tudo para agradar a todo o tipo de público. Além disso, a traseira curva deixa o smartphone muito agradável de segurar, aumentando o conforto e diminuindo os riscos de queda.

Hands-on: testamos o Moto G, o smartphone potente de R$ 649 [vídeo] (Fonte da imagem: Caroline Hecke/Tecmundo)

Além disso, sua parte traseira é emborrachada, o que proporciona um toque suave, mas sem deixar de ser resistente. Aliás, o Moto G é resistente a água e riscos, contando com o Corning Gorilla Glass e um revestimento totalmente repelente de água.

Hands-on: testamos o Moto G, o smartphone potente de R$ 649 [vídeo] (Fonte da imagem: Caroline Hecke/Tecmundo)

Além de tudo, a Motorola anunciou hoje a linha Moto Shells: mais do que uma capinha, você pode trocar totalmente a carcaça do aparelho, mudando a cor da parte traseira. Outros dois modelos garantem proteção adicional ao smartphone: um com proteção da parte lateral do aparelho e outro com uma capa inteligente que cobre também a tela do gadget, servindo ainda para desbloqueá-la.

Desempenho

O Moto G mostra sua fluidez logo de cara: ele não demonstra nenhum atraso na navegação básica, nem mesmo ao rodar aplicativos que exigem mais velocidade e poder de processamento.

Ver Vídeo

Testamos o gadget com o game Asphalt 8: Airbone e, mesmo depois de um bom tempo de jogatina, o Moto G não engasgou nenhuma vez. Para render dessa forma, o aparelho conta com o Qualcomm Snapdragon 400 de 1,2 GHz.

A Motorola também implementou um sistema de gerenciamento de energia, que garante até 24 horas de autonomia ao aparelho quando usado em “condições médias” – algo que, segundo a Motorola, inclui o período de conversação e  stand by.

Câmera com funções exclusivas

Aparentemente, os 5 MP da câmera rendem muito bem. Embora este primeiro teste do gadget tenham sido bastante limitado, foi possível perceber que o aparelho é capaz de fazer imagens claras e bem definidas, com um baixo nível de ruído.

Além disso, funções inteligentes foram integradas ao app nativo de câmera, permitindo que você faça imagens com muito mais velocidade. O foco é configurado de forma automática e não existe qualquer botão de disparo: é só tocar na tela e a foto é feita instantaneamente.

Outra vantagem é que você pode fazer fotografias enquanto filma, algo que, para quem gosta de registrar todos os momentos, faz muita falta em outros aparelhos. Afinal, quem é exigente sabe bem que a captura de tela de um frame do vídeo não chega nem perto da qualidade de uma fotografia.

Com a nova ferramenta da Motorola, você não precisa escolher entre uma coisa e outra: é só selecionar um botão e continuar a filmagem normalmente. A essa altura, a foto em alta qualidade já está na memória do seu aparelho. Você ainda pode fazer imagens em HDR, fotos panorâmicas, vídeos em slow motion e usar o zoom digital de 4x apenas deslizando o dedo na tela – tudo isso em funções nativas.

Android Puro e atualização para o 4.4 KitKat

Outra vantagem apontada pela Motorola para o Moto G foi o Android 4.3 Jelly Bean em sua forma pura, o que aumenta de forma considerável o desempenho do aparelho, além de garantir um visual mais limpo e agradável ao gadget.

Hands-on: testamos o Moto G, o smartphone potente de R$ 649 [vídeo] (Fonte da imagem: Caroline Hecke/Tecmundo)

Além disso, a Motorola garantiu a atualização do aparelho para a versão 4.4 do Android, a KitKat. Isso é, sem dúvidas, um ponto alto do produto: investindo menos de R$ 700, o consumidor garante um smartphone com o sistema operacional mais atual.

Dual SIM e Rádio FM

Ao desbloquear o Moto G já é possível visualizar no topo da tela a função dual SIM. Nem todos os países vão receber o modelo nessa versão, mas para os consumidores brasileiros ela costuma ser essencial – e já está garantida nos aparelhos distribuídos no país.

Dennis Woodside, CEO da Motorola Mobility, diz que a fabricante pensou no perfil do público de países em que os serviços de operadoras móveis são mais caros, além de contar com vantagens diferenciadas para cada tipo de plano. “O consumidor pode se beneficiar com planos que dão vantagens para ligações entre a mesma operadora ou, até mesmo, manter chips de lugares diferentes para economizar em roaming”.

Um bom smartphone por um ótimo preço

O Moto G pode ser considerado o smartphone dos sonhos de muita gente: ele é bonito, tem um ótimo desempenho, sua câmera não é decepcionante, conta com o Android puro com garantia de atualização e tudo isso por um preço considerado baixo em comparação à concorrência – ainda na casa dos R$ 600, uma verba que, até agora, garantiria um gadget usado ou um aparelho bem mais modesto.

Hands-on: testamos o Moto G, o smartphone potente de R$ 649 [vídeo]Dennis Woodside, CEO da Motorola, apresenta o Moto G em lançamento mundial na cidade de São Paulo (Fonte da imagem: Caroline Hecke/Tecmundo)

A Motorola deixa claro o público a que o gadget se destina: pessoas que ainda não contam com smartphones de ponta devido aos altos preços praticados. Lauren Gellman, Product Marketing da Motorola, disse em entrevista para o Tecmundo que o produto foi resultado de extensas conversas com usuários de dispositivos móveis.

“Conversamos com os consumidores para entender os maiores desafios atuais no uso de smartphones, e entre eles está a bateria, que geralmente não dura o dia inteiro, e até mesmo a transferência de dados na hora de trocar de gadget”.

Aparentemente, o esforço da Motorola não foi em vão: o smartphone tem tudo para conquistar o público, ainda mais em um mercado carente de boas opções por preços acessíveis.


Fonte: TecMundo.