Metal líquido vai permitir criação de telas flexíveis por impressoras 3D

Dados - X

Metal líquido vai permitir criação de telas flexíveis por impressoras 3D

As telas poderão ser acopladas a vários tipos de material. (Fonte da imagem: Reprodução/TheVerge)

Ainda seremos capazes de produzir praticamente qualquer tipo de objeto em casa. Como? Usando impressoras 3D. De fato, essa afirmação é ousada. Mas, se depender de uma liga chinesa de pesquisadores, vamos conseguir imprimir até mesmo telas flexíveis para eletrônicos.

O estudo, publicado pela biblioteca da universidade estadunidense de Cornell, revela o desenvolvimento de uma nova técnica de impressão: ao usar um metal que permanece em estado líquido em temperatura ambiente, gotas em superfícies variadas foram experimentalmente aplicadas pela primeira vez no processo.

Este método revolucionário de impressão vai possibilitar a fabricação de componentes eletrônicos sobre quaisquer objetos. Conforme dizem os cientistas, “superfícies lisas, ásperas, feitas de materiais diferentes, dispostas em orientações distintas para configurações em 1D e 3D” poderão ser usadas como base aos projetos.

Um metal transparente?

E se a possibilidade de imprimir componentes à base de “metal líquido” em casa já é fantástica, o que dizer então da produção de um filme condutor “transparente”? De acordo com Jing Liu, um dos pesquisadores responsáveis pelo desenvolvimento desta nova técnica, a combinação entre os componentes químicos gálio e índio pode gerar um metal até 47% transparente.  

Metal líquido vai permitir criação de telas flexíveis por impressoras 3D

O potencial comercial da proposta é enorme. (Fonte da imagem: Reprodução/MobileExpert)

As tão desejadas “carapaças transparentes de metal” a smartphones, por exemplo, poderão assim ser finalmente criadas. As intenções do projeto são bastante ousadas, e os cientistas estão verdadeiramente confiantes no potencial comercial desta invenção. Melhoramentos nos processos de prototipagem e a construção de novos conceitos de design para eletrônicos serão também algumas das frentes de atuação deste novo material.